• post #tbt Blog Me Belisca

O DIA QUE COMPREI UMA PLAYBOY


É isso mesmo que você leu no título deste post, eu comprei uma playboy.. Mas, não foi uma revista qualquer, pelo menos não para mim, pois trás a gorda maravilhosa Flúvia Lacerda como capa. A decepção se deu por conta da revista ter criado duas capas, uma com uma mulher "padrão" e esta vendida nas bancas de todo país e outra com a Flúvia, com venda apenas on-line.

O fato de nunca ter trabalhado com uma mulher gorda antes, deve ter rendido algumas dúvidas e questionamentos. A revista trás 3 editoriais muito bem fotografados, o editorial da nossa diva maravilhosa é bem curtinho, porém com um texto empoderante da Jornalista Silvia Sendacz.

Minha vontade de comprar uma revista veio à tona, quando perto do final do ano passado(2016), vi uma reportagem apontando que uma outra mulher gorda e tão linda quando a Flúvia iria sair na Playboy. Nossa querida Ju Romano, inclusive fiz post sobre a coleção da modelo para a Dolps, aqui. Já no final do ano a revista anunciava a capa com a modelo plus size internacional Flúvia Lacerda. Brasileira que mora em Nova York.

Pois bem, nem cheguei a ir as bancas e já se ouvia o burburinho de que a edição com a Flúvia só seria vendida on-line... A própria modelo compartilha a informação em suas redes sociais. Mas, vamos ao que interessa, por que é tão empoderante ver uma mulher "fora do *padrão" (imposto) saindo em revistas e participando de concursos internacionais? Foi o caso do Miss Universo, por exemplo. O que choveu de críticas ao corpo da Miss Canadá não está no gibi, muito gorda em relação às demais ( por favor, não venham me dizer que ela deveria estar em outro tipo de concurso. Isso reforça seu preconceito). Nos acostumamos a valorizar um certo tipo de comportamento, um certo tipo de cabelo, um certo tipo de cor de pele, um certo tipo de pessoa, tudo aquilo que foge ao comportamento padrão é tido como algo anormal. Isso mesmo, não se espante. Quiz dizer *anormal, pois, é assim que nos veem.

Sim, comprei uma revista com uma mulher gorda pelada na capa, por questões de: eu preciso me aceitar e você também. Não é que a revista tenha o poder de te fazer mudar a opinião sobre si mesmo, mas, é uma forma de mostrar ao mundo que existe beleza fora do padrão tão desnecessariamente imposto. Quem foi que disse que você só estará bonita quando emagrecer? Eu acreditava seriamente nisso, era a minha verdade absoluta. Encontrava alguém na rua e falavam:

_nossa! Como está gorda, tem que emagrecer urgente. Nessa paranóia passei acreditar que tinha algo de muito feio e muito errado com meu corpo. Jamais imaginei que quem estava errado era o linguarudo ou linguaruda que falava por sentir a necessidade de estar enquadrado num "padrão" que nem deveria existir.

Você é gorda, inteligente, linda e empoderada. Cuide bem da sua saúde, do seu corpo, da sua pele e seja feliz, ou quer saber? Apenas seja feliz, no final é somente isso que irá importar. A Flúvia é gorda e como bem coloca a Jornalista: "não gordinha, não fofinha, não curvilínea. Gorda. Gorda mesmo e com muito orgulho[...] E gorda é apenas uma das tantas características dessa roraimense de 34 anos, cheia de atitude, de beleza e de autoestima."

Quero que mais e mais pessoas passem a acreditar na força que tem, um basta ao mi mi mi. Gratidão!

Dicionário Aurélio de Língua Portuguesa:

"Significado de Anormal"

"Que se afasta da norma. Contrário às regras; irregular. Pessoa que não é normal."

"Significado de Padrão"

"O que serve de referência. Que serve de referência ou de modelo."

#despessoal #AUTOESTIMA #AUTOACEITAÇÃO

  • SPOTIFY
  • AMAZON

Copyright © 2017 por ABIGAIL SANTOS